Rádio Online
 
 
pub
Home > Estudos > Estudos da Célula > AS CHUVAS TEMPORÃ E SERÔDIA

Estudos da Célula

AS CHUVAS TEMPORÃ E SERÔDIA
 

As Chuvas Temporã e Serôdia (Ricardo Wagner, ap.)

No sul do Brasil não temos estações de chuvas muito definidas. Praticamente em todos os meses temos chuvas. Mas há certos lugares que as chuvas são periódicas. Por exemplo em Belém do Pará a época das chuvas, chamada de "inverno", vai de dezembro a abril. Nesta época chove todos os dias. Parece que tem hora marcada para chover. Quatro horas da tarde, todos os dias, vem aquela pancada. Alguns dias por alguns minutos, outros dias por uma hora ou mais.

Em Israel (nas terras bíblicas da Palestina) também as estações de chuvas são bem definidas. Há duas estações. A Bíblia chama as duas estações de chuva temporã e chuva serôdia. A chuva temporã é também conhecida como as primeiras chuvas ou chuvas de outono. A chuva serôdia são as chuvas tardias ou chuvas da primavera.

Na agricultura Palestina, existem algumas etapas específicas envolvidas na produção de uma boa colheita: o plantio (que acontece no outono), a germinação das sementes pelas primeiras chuvas (chuva temporã), o período de maturação (que acontece no inverno) e, finalmente, o período de amadurecimento causado pelas últimas chuvas (chuva serôdia) que acontecem no início da primavera.

Na ausência da chuva temporã o solo fica muito prejudicado e as sementes não germinam, pois o verão na Palestina é muito quente e seca a terra. Sem a chuva serôdia todo o cultivo fica seriamente ameaçado e todo esforço da preparação da terra e da semeadura se perde.

A chuva temporã e a chuva serôdia aparecem em repetidas referências bíblicas. Essas referências enfatizam o caráter crucial de cada uma delas para a agricultura. Através de Moisés, Deus disse aos israelitas que a terra que iriam possuir, a terra de Israel seria diferente do Egito onde precisavam buscar água a pé no Rio Nilo para regar as plantas, pois teriam chuvas ao seu tempo (a chuva temporã e a serôdia). – Leia Dt 11:10-14

Darei as chuvas da vossa terra a seu tempo, as primeiras e as últimas, para que recolhais o vosso cereal, e o vosso vinho, e o vosso azeite” (Dt 10:14). Leia também Jr 5:24

Deus usa a simbologia da chuva temporã e serôdia para explicar coisas espirituais. Ele compara a descida das chuvas com a vinda de seu Espírito, de sua presença.

Os 6:3 – “Conheçamos e prossigamos em conhecer ao SENHOR; como a alva, a sua vinda é certa; e ele descerá sobre nós como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra.”

E com a presença da chuva de seu Espírito vem as bênçãos, os frutos, a colheita!

Is 44:3 – “Porque derramarei água sobre o sedento e torrentes, sobre a terra seca; derramarei o meu Espírito sobre a tua posteridade e a minha bênção, sobre os teus descendentes.

Tg 5:18 – “E orou, de novo, e o céu deu chuva, e a terra fez germinar seus frutos”

Lv 26:4 – “dar-vos-ei as vossas chuvas a seus tempos, e a terra dará as suas produções, e as árvores dos campos darão os seus frutos.

PERGUNTAS: A chuva faz com que a planta dê seu fruto! A presença de Deus faz com que frutifiquemos. Como podemos cultivar a presença de Deus em nossas vidas?

Interessantemente Deus orienta o povo a pedir a chuva no tempo que está estabelecido e deve chover! Se é tempo de chuva, por que Devemos pedir para que venha a chuva? Por que é o próprio Deus que controla a chuva serôdia e a chuva temporã, bem como qualquer outra condição climática e atmosférica. Ele é quem envia ou retém a chuva. Quando pedimos a ele, mostramos que cremos no seu poder.

Zc 10:1 – “Pedi ao SENHOR chuva no tempo das chuvas serôdias, ao SENHOR, que faz as nuvens de chuva, dá aos homens aguaceiro e a cada um, erva no campo.” Leia também Sl 147:7b-8.

Estamos vivendo o “Ano do Rompimento e Frutificação”. Estamos vivendo na época da colheita. Para termos esta ceifa, não podemos deixar que no tempo determinado para esta colheita não tenhamos os frutos. Precisamos clamar para que aquilo que já está estabelecido de antemão (a chuva em seu tempo) realmente aconteça e traga os seus frutos. Ele já sabe o que necessitamos, mas nos orienta a clamarmos a Ele, mostrando que cremos que é Ele que controla todas as coisas e que dará aos que lho pedirem!

Mt 6:8 – “Porque Deus, o vosso Pai, sabe o de que tendes necessidade, antes que lho peçais.”

PERGUNTAS: Se a época das chuvas estava já determinada, por que deveriam pedir as chuvas a Deus. E nós o que devemos fazer, sabendo que estamos vivendo num tempo de “Rompimento e Frutificação”?

Reunião da Célula

1. Encontro

a. Enquanto as pessoas forem chegando, você pode deixar uma música de fundo rodando no ambiente. Isto ajuda a preparar o ambiente para célula e deixa mais descontraído.

b. Nunca deixe de dar muita atenção para os novos na célula. Eles precisam se sentir especiais (como realmente são).

c. Peça para as pessoas que trouxeram os visitantes, apresentarem estas pessoas. Receba a todos com muita expectativa e amor.

d. Quebra Gelo. Pergunta: Você já plantou alguma coisa? Já colheu frutos do que plantou? Dê detalhes!

2. Exaltação

a. Se houver possibilidade, cante dois cânticos bem alegres. Se não há que toque um instrumento, seria interessante que se tenha um aparelho de som e se colocasse uma música pré-selecionada que todos possam cantar juntos. Pode ser até um celular.

b. A presença de Deus é que faz com que as pessoas sejam transformadas na célula. Então valorize este momento para todos entenderem que sobretudo a presença de Deus deve ser valorizada e desejada.

c. Ore pelo andamento da célula e por cada pessoa!

3. Edificação

a. O objetivo desta ministração é fazer com que cada participante da célula entenda que é a presença de Deus que faz que frutifiquemos. Além disto que se quisermos os frutos temos que pedir que a presença dele venha para frutificarmos e tenhamos tudo o que necessitamos.

b. O profeta Joel afirmou: “Alegrai-vos, pois, filhos de Sião, regozijai-vos no SENHOR, vosso Deus, porque ele vos dará em justa medida a chuva; fará descer, como outrora, a chuva temporã e a serôdia” (Jl 2:23). Se um dia o Espírito Santo foi derramado e bênçãos ilimitadas vieram sobre o povo de Deus, isto está para acontecer de novo. Estamos neste tempo. Precisamos pedir para o Espírito Santo novamente encher cada pessoa.

4. Evangelismo

a. Ore e busque a presença do Espírito Santo. Abençoe cada participante orando sobre cada um deles para serem sedentos pela presença de Deus em suas vidas. Que busquem esta presença de coração.

b. Ore sempre pelas necessidades das pessoas (pode fazer uso da cadeira da bênção para esta oração).

c. Aproveite para levar as pessoas que ainda não conhecem a Jesus a se entregarem a ele.

d. Ore pelas pessoas que estão na lista de oração. Faça algo criativo para as pessoas sentirem verdadeiramente que esta lista é muito importante.

e. Dê os avisos necessários.

f. Orem pela liderança da sua igreja e da Rede Apostólica.

g. NUNCA deixe de compartilhar os objetivos da célula, discutir como estão avançando nestes objetivos, estabelecer estratégias e orar por eles. Faça SEMPRE isto.

h. Não esqueça de fazer mensalmente a REUNIÃO FESTIVA para facilitar trazer novas pessoas para a célula.

Observações: É muito importante que o líder de célula tenha uma visão para sua célula, ou seja, onde pretende chegar. A visão do líder para sua célula vai definir onde a célula vai chegar, como mobilizar a célula para suas metas, e qual intensidade que cada pessoa vai colocar no objetivo. Líder sem visão para sua célula não lidera, apenas conduz a reunião!

Alguns exemplos de uma visão para a célula: Neste ano vou multiplicar nossa célula e formar 3 novas. Outra visão: vamos multiplicar nossa célula e implantar uma nova célula em um bairro ou cidade que ainda não tem nenhuma célula.

02/09/2019

Veja Mais...

27/Ago/2019

A RECOMPENSA.

 
20/Ago/2019

DEUS DE GUERRA.

 
13/Ago/2019

O AMBIENTE DOS MILAGRES.

 
06/Ago/2019

MILAGRES PARA TODOS.

 
30/Jul/2019

O GRANDE LEGADO.