Rádio Online
 
 
pub
Home > Estudos > Estudos da Célula > O DEUS MAIS QUE SUFICIENTE

Estudos da Célula

O DEUS MAIS QUE SUFICIENTE
 

O Deus Mais Que Suficiente (Ricardo Wagner, Ap.)

Em João 6:1–13 (Mt 14:13-21, Mc 6:30-44, Lc 9:10-17), Jesus se encontrava com uma grande multidão que estava com fome. O problema no momento era a falta de comida. Mas Jesus sabia que onde há falta, há suprimento superabundante no reino de Seu Pai para suprir toda falta. Seus discípulos, no entanto, não sabiam disso. Eles não pensavam da mesma maneira que Jesus. Eles disseram a Ele: “Está aí um rapaz que tem cinco pães de cevada e dois peixinhos; mas isto que é para tanta gente?” (Jo 6:9). Eles achavam que isto era insignificante comparado a grandeza da necessidade.

Quando Jesus viu os cinco pães e dois pequenos peixes, ao contrário de seus discípulos, Ele não viu uma questão impossível de ser resolvida - alimentar mais de 5.000 homens famintos com o pequeno almoço de um menino. Ele sabia e via o suprimento abundante do Pai. Seus discípulos, por outro lado, viram a demanda impossível de ser suprida por eles. Isso os incomodou tanto que eles pediram a Jesus: “Despede a multidão, para que, indo às aldeias e campos circunvizinhos, se hospedem e achem alimento; pois estamos aqui em lugar deserto” (Lc 9:12b). Os discípulos estavam preocupados que não tinham comida suficiente para todos, nem tinham dinheiro suficiente para comprar tanta comida. Viram apenas o problema: a falta de alimentos. Mas Jesus pegou o pouco, erguendo os olhos ao céu abençoou e deu graças ao Pai cujo suprimento é muito maior do que podemos pedir ou imaginar (Mc 6:41, Jo 6:11).

Quando Jesus começou a distribuir o pouco que estava em Suas mãos, um milagre aconteceu. Cinco mil homens, sem contar mulheres e crianças, comeram o quanto quiseram e enquanto estavam com fome! Provavelmente ao todo havia mais de 15.000 pessoas que se alimentaram com estes 5 pães e os 2 peixinhos.

PERGUNTA:Quando estamos enfrentando uma dificuldade, nosso foco está no problema ou no Deus da solução? Explique!

O suprimento continuou fluindo enquanto a necessidade estava lá. E depois que eles estavam tão cheios, haviam 12 cestos cheios de sobras! Esse é o suprimento superabundante de Deus. No reino de Deus, não existe tal coisa como o Pai não ter o suficiente ou não querer dar abundantemente a Seus filhos. Não, Ele promete que “há de suprir, em Cristo Jesus, cada uma de vossas necessidades, segundo a sua riqueza em glória” (Fp 4:19).

Uma vez que Jesus viu o suprimento que estava no Pai, Ele pôde agradecer pelo pouco que estava em Suas mãos, e o pouco multiplicou-se e multiplicou-se e continuou multiplicando-se! Não só as pessoas foram alimentadas até estarem fartas, mas também sobraram 12 cestos cheios! Que incrível milagre! Quando a graça é abundante, é sempre abundante e acima de tudo que podemos pedir ou imaginar! (Efésios 3:20). Neste episódio (único relatados nos 4 evangelhos) podemos conhecer mais a Deus e como ele age:

1. Jesus não se focava nas carências e limitações, mas na grande abundância e no desejo do Pai em distribuir esta abundância com seus filhos. Enquanto estivermos focados nas carências, nos problemas, nas faltas nas impossibilidades não conseguiremos ver a grandeza da abundância que Deus tem para nos suprir.

2. O pouco que temos quando entregue ao Pai como semente ele multiplica. Muitos pensando que tem pouco, não entregam ao Pai, pois pensam que ficarão sem nada. Quando entendemos que o que temos é a semente para a grande colheita não nos amesquinhamos.

3. Jesus olhou ao céu e deu graças, pois sabia que o suprimento vinha do Pai. Enquanto só olhamos para as dificuldades e limitações não desenvolvemos nossa fé e não podemos experimentar os milagres. Milagres acontecem quando focamos naquele que é “Deus do impossível” e lhe somos gratos.

4. O milagre acontece enquanto agimos em direção ao milagre. A mulher hemorrágica foi curada quando foi ao encontro de Jesus no meio da multidão e tocou em suas vestes. O paralítico de Cafarnaum foi curado quando seus amigos abriram o telhado e o colocaram aos pés de Jesus. Pedro andou sobre as águas quando saiu do barco no meio do mar. E a multiplicação aconteceu quando foram distribuir os 5 pães e 2 peixinhos.

5. Deus não se limita as nossas necessidades. Ele sempre tem mais. Depois que todos estava fartos ainda sobraram 12 cestos cheios que foram recolhidos. Deus tem sempre mais em relação àquilo que necessitamos.

6. O limite do suprimento de Deus é que recebemos o quanto queremos. Os homens, mulheres e crianças receberam pão e peixe e comeram o “quanto queriam” até “estarem fartos”! (Jo 6:11-12). O estilo de Deus é nos dar o quanto quisermos. O suprimento só para quando dizemos: “Chega, Senhor! Pare!" Aqui está um princípio fundamental: no reino de Deus, o suprimento nunca se esgota. Só para quando dizemos a Deus para parar de fornecer. Nós é que decidimos. Como seu amoroso Pai celestial, Deus dá generosamente e livremente. Deus não dá com mão miserável. Ele não é “mão de vaca” ou mesquinho. Deus ama seu povo e seu amor dá. Seu amor nos supre.

PERGUNTAS: Qual destes princípios acima o desafia? Por quê? Conte um exemplo prático em sua vida deste desafio!

Reunião da Célula

1. Encontro

a. O quebra gelo serve para deixar as pessoas bem a vontade. Mas podemos aproveitar para conhecer melhor as pessoas e saber coisas importantes sobre suas vidas. Este também é um momento especial para todas as pessoas perceberem que todos são muito semelhantes e passam por situações muito parecidas.

b. Peça para as pessoas que trouxeram os visitantes, apresentarem estas pessoas. Receba a todos com muita expectativa e amor. Mostre para estas pessoas que esta reunião será um divisor de águas em suas vidas.

c. Quebra Gelo. Pergunta: Estamos vivendo dias de férias para muitas pessoas. Quais as melhores férias que você já teve em sua vida?

2. Exaltação

a. Se houver possibilidade, cante dois cânticos bem alegres. Se não há que toque um instrumento, seria interessante que se tenha um aparelho de som e se colocasse uma música pré-selecionada que todos possam cantar juntos. Pode ser até um celular.

b. Lembre as pessoas do lema deste ano: ANO do ROMPIMENTO e FRUTIFICAÇÃO. Pergunte as pessoas o que tem percebido ou já experimentado neste ano sobre este isto.

c. Ore agora para que as pessoas possam experimentar este Rompimento e Frutificação em suas vidas. Orem para que a célula seja um instrumento para isto. Se possível faça um CONCERTO de ORAÇÃO (todos orarem juntos e alto por este assunto por 2 ou 3 minutos).

3. Edificação

a. O objetivo desta ministração é conhecer mais quem Deus é e como Ele age na área de suprimento para nossas vidas. Então dê ênfase e conversem bastante sobre os princípios e como desenvolvê-los em suas vidas.

b. Entenda que a melhor reunião de célula é onde há maior interação de todos. Então não faça da célula um púlpito para pregação, mas um lugar onde todos podem participara. Isto é CHAVE numa boa reunião de célula.

4. Evangelismo

a. O tempo de edificação abre o caminho para este momento de oração. Diante dos desafios que surgiram durante a interação na ministração, orem para haver a liberação dos milagres de suprimento em qualquer área na vida das pessoas.

b. Aproveite para levar as pessoas que ainda não conhecem a Jesus a se entregarem a ele.

c. Ore pelas pessoas que estão na lista de oração. Faça algo criativo para as pessoas sentirem verdadeiramente que esta lista é muito importante.

d. Dê os avisos necessários.

e. Orem pela liderança da sua igreja e da Rede Apostólica.

f. NUNCA deixe de compartilhar os objetivos da célula, discutir como estão avançando nestes objetivos, estabelecer estratégias e orar por eles. Faça SEMPRE isto.

Observação:

a. Uma célula doente é uma célula que não cresce e não multiplica. Não deixe sua célula fechar pela falta de atenção as pessoas novas impedindo que novas pessoas participem.

b. NUNCA deixe a célula ficar concentrada no líder. A célula segue o princípio de equipe, onde todos participam e tem sua função. Quando tudo gira somente em torno do líder a célula se torna improdutiva e não se multiplica.

Segue história completa da primeira multiplicação de pães e peixes conjugando o relato dos 4 Evangelhos.

Primeira Multiplicação de Pães e Peixes

Mt 14:13-21, Mc 6:30-44, Lc 9:10-17, Jo 6:1-15

1. Mc 6:30 Voltaram os apóstolos à presença de Jesus e lhe relataram tudo quanto haviam feito e ensinado.

2. Mc 6:31 E ele lhes disse: Vinde repousar um pouco, à parte, num lugar deserto; porque eles não tinham tempo nem para comer, visto serem numerosos os que iam e vinham.

3. Mc 6:32 Então, foram sós no barco para um lugar solitário.

4. Jo 6:1 Atravessou Jesus o mar da Galiléia, que é o de Tiberíades.

5. Lc 9:10 E, levando-os consigo, retirou-se à parte para uma cidade chamada Betsaida.

6. Mc 6:33 Muitos (as multidões – Lc 9:11), porém, os viram partir e, reconhecendo-os, correram para lá, a pé (por terra - Mt 14:13), de todas as cidades, e chegaram antes deles.

7. Jo 6:2 Seguia-o numerosa multidão, porque tinham visto os sinais que ele fazia na cura dos enfermos.

8. Mc 6:34 Ao desembarcar, viu Jesus uma grande multidão e compadeceu-se deles, porque eram como ovelhas que não têm pastor. E passou a ensinar-lhes muitas coisas.

9. Lc 9:11 Acolhendo-as, falava-lhes a respeito do reino de Deus e socorria os que tinham necessidade de cura (e curou os seus enfermos - Mt 14:14).

10. Jo 6:3 Então, subiu Jesus ao monte e assentou-se ali com os seus discípulos.

11. Jo 6:4 Ora, a Páscoa, festa dos judeus, estava próxima.

12. Lc 9:12 Mas o dia começava a declinar (e já avançava a hora - Mc 6:35). Então, se aproximaram os doze e lhe disseram: Despede a multidão, para que, indo às aldeias e campos circunvizinhos, se hospedem e achem (e comprem - Mt 14:15) alimento; pois estamos aqui em lugar deserto.

13. Mt 14:16 Jesus, porém, lhes disse: Não precisam retirar-se; dai-lhes, vós mesmos, de comer.

14. Jo 6:5 Então, Jesus, erguendo os olhos e vendo que grande multidão vinha ter com ele, disse a Filipe: Onde compraremos pães para lhes dar a comer?

15. Jo 6:6 Mas dizia isto para o experimentar; porque ele bem sabia o que estava para fazer.

16. Jo 6:7 Respondeu-lhe Filipe: Não lhes bastariam duzentos denários de pão, para receber cada um o seu pedaço.

17. Mc 6:38 E ele lhes disse : Quantos pães tendes? Ide ver!

18. Jo 6:8 Um de seus discípulos, chamado André , irmão de Simão Pedro, informou a Jesus:

19. Jo 6:9 Está aí um rapaz que tem cinco pães de cevada e dois peixinhos; mas isto que é para tanta gente?

20. Mt 14:18 Então, ele disse: Trazei-mos.

21. Mc 6:39 Então , Jesus lhes ordenou que todos se assentassem, em grupos, sobre a relva verde .

22. Mc 6:40 E o fizeram, repartindo-se em grupos de cem em cem e de cinqüenta em cinqüenta .

23. Mc 6:41 Tomando ele os cinco pães e os dois peixes, erguendo os olhos ao céu, os abençoou (e deu graças - Jo 6:11); e, partindo os pães, deu-os aos discípulos para que os distribuíssem; e por todos repartiu também os dois peixes (o quanto queriam - Jo 6:11)

24. Mc 6:42 Todos comeram e se fartaram;

25. Jo 6:12 E, quando já estavam fartos, disse Jesus aos seus discípulos: Recolhei os pedaços que sobraram, para que nada se perca.

26. Jo 6:13 Assim, pois, o fizeram e encheram doze cestos (cheios – Mc 6:43) de pedaços dos cinco pães de cevada (e de peixes – Mc 6:43), que sobraram aos que haviam comido.

27. Mt 14:21 E os que comeram foram cerca de cinco mil homens, além de mulheres e crianças 

28. Jo 6:14 Vendo, pois, os homens o sinal que Jesus fizera, disseram: Este é, verdadeiramente, o profeta que devia vir ao mundo.

29. Jo 6:15 Sabendo, pois, Jesus que estavam para vir com o intuito de arrebatá-lo para o proclamarem rei, retirou-se novamente, sozinho, para o monte.

03/02/2019

Veja Mais...

29/Out/2018

A ORAÇÃO DE JABEZ.

 
29/Out/2018

A ORAÇÃO DE JABEZ.