Rádio Online
 
 
pub
Home > Estudos > Estudos da Célula > A ATMOSFERA DA GRATIDÃO

Estudos da Célula

A ATMOSFERA DA GRATIDÃO
 

A Atmosfera da Gratidão (Ricardo Wagner, ap.)

Na igreja primitiva havia um sério problema prático que os cristãos enfrentavam no seu dia a dia. Haviam muitos templos de muitos deuses distintos nas cidades, especialmente em Corinto, que era uma cidade comercial, onde aportavam marinheiros do mundo inteiro enquanto seus navios eram ajustados para prosseguir a viagem. Hoje, nas escavações de Corinto podemos ver os escombros de ao menos 20 grandes templos para diferentes divindades como Afrodite, Zeus, Apolo, Poseidon, Atena, Artemis, Ísis, Pausanias, Demeter, Koré, etc.

Praticamente em todos estes templos haviam sacrifícios de animais oferecidos pelos devotos. Estes animais eram sacrificados e oferecidos para as divindades, porém parte da carne ficava com as pessoas ou eram vendidas em açougues. Quando alguém comprava carne no mercado, não tinha a informação se era carne de algum animal dedicado a alguma divindade ou se era um animal simplesmente abatido para consumo. Também quando visitavam alguém, não se sabia se a carne da refeição era de animal sacrificado a ídolos ou não. Diante desta situação, os cristãos perguntavam: o que fazer?

O apóstolo Paulo dá orientação para os corintos: a carne vendida nos açougues e servida numa refeição comum pode ser comida tranquilamente pelo cristão, pois tudo foi criado por Deus e pertence a ele.

I Co 10:25-27 – “25 Comei de tudo o que se vende no mercado, sem nada perguntardes por motivo de consciência; 26 porque do Senhor é a terra e a sua plenitude. 27 Se algum dentre os incrédulos vos convidar, e quiserdes ir, comei de tudo o que for posto diante de vós, sem nada perguntardes por motivo de consciência.”

Não existem animais — vivos ou mortos — que pertençam ao diabo ou aos demônios. Do Senhor é tudo que há, podendo o crente comer o que quiser.

I Co 8:4-6 – “4 No tocante à comida sacrificada a ídolos, sabemos que o ídolo, de si mesmo, nada é no mundo e que não há senão um só Deus. 5 Porque, ainda que há também alguns que se chamem deuses, quer no céu ou sobre a terra, como há muitos deuses e muitos senhores, 6 todavia, para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para quem existimos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós também, por ele.”

Havia, todavia, uma outra situação. A antiga sociedade pagã não fazia distinção alguma entre a vida social e a vida religiosa. Os jogos, as diversões, as festas e todo o cotidiano do homem antigo estavam entrelaçados com suas crenças nas divindades. Por isso, a participação na vida social da cidade colocava os crentes muitas vezes diante de refeições litúrgicas ou cultuais em que a carne oferecida aos deuses era servida. Essa era outra ocasião em que os crentes se viam diante da carne de animais consagrados a ídolos. E como agir em face dessa situação?

Isso seria mais raro hoje em dia, mas a ordem de Paulo é: “Caia fora!”. As refeições cerimoniais são parte de um culto de adoração aos ídolos e disso os crentes jamais devem participar — não pelo alimento em si, o qual em qualquer situação (no açougue ou no templo) pertence a Deus (1Co 8.8) —, mas porque tomar parte em ações que veneram falsos deuses é um ato que só honra a Satanás (1Co 10.19-22) e pode ser motivo de escândalo para aqueles menos preparados.

Diante deste cenário, fica a pergunta, por que Paulo permitiu que os cristãos comessem alimentos que tinham sido sacrificados a outros deuses? A resposta ele mesmo nos dá: pois o alimento é recebido com ações de graça!

I Co 10:30 – “Se participo da refeição com ação de graças, por que sou condenado por algo pelo qual dou graças a Deus?”

O que produz as ações de graças sobre o alimento? O próprio apóstolo Paulo explica quando escreve a Timóteo:

I Tm 4:4-5 – “4 Pois tudo o que Deus criou é bom, e nada deve ser rejeitado, se for recebido com ação de graças, 5 pois é santificado pela palavra de Deus e pela oração.”

As ações de graça desfazem a consagração dos alimentos e o santificam. Assim, as ações de graça mudam a natureza dos alimentos: de malditos para benditos.

Este é um bom exemplo para entendermos o que as ações de graça produzem. Ações de graça mudam a natureza das coisas e ambientes. Tudo é mudado quando somos gratos. Ao invés de reclamarmos das circunstâncias, murmurarmos de nossa situação ou estarmos constantemente em desgosto, temos que aprender a dar graças em tudo (I Ts 5:16-18) e mudar o ambiente ao nosso redor para um ambiente celestial, ambiente de bênçãos, ambiente da manifestação de Deus. Por isto ele nos orienta a chegarmos diante dele com ações de graça. Para entrar em sua presença há uma chave: ações de graça.

Sl 100:4 – “4 Entrai por suas portas com ações de graças e nos seus átrios, com hinos de louvor; rendei-lhe graças e bendizeilhe o nome.”

PERGUNTAS: As ações de graça mudam a consagração de alimentos a demônios para serem bênçãos em nossas vidas. O que podemos aprender com isto? Há situações que podemos mudar com ações de graças? Conversem sobre isto!

 

Reunião da Célula

1. Encontro

a. Enquanto as pessoas forem chegando, você pode deixar uma música de fundo rodando no ambiente. Isto ajuda a preparar o ambiente para célula e deixa mais descontraído.

b. Nunca deixe de dar muita atenção para os novos na célula. Eles precisam se sentir especiais (como realmente são).

c. Peça para as pessoas que trouxeram os visitantes, apresentarem estas pessoas. Receba a todos com muita expectativa e amor.

d. Quebra Gelo: Pergunta: Você já comprou alguma coisa via internet? Compra pouco ou muito? Gosta de comprar via internet? Por que?

2. Exaltação

a. Se houver possibilidade, cante dois cânticos bem alegres. Se não há quem toque um instrumento, seria interessante que se tenha um aparelho de som e se colocasse uma música pré-selecionada que todos possam cantar juntos. Pode ser até um celular.

b. A presença de Deus é que faz com que as pessoas sejam transformadas na célula. Então valorize este momento para todos entenderem que sobretudo a presença de Deus deve ser valorizada e desejada.

c. Ore pelo andamento da célula e por cada pessoa!

3. Edificação

a. Temos que constantemente alinharmos os conceitos de Deus para nossa vida, nossas circunstâncias e nosso cenário. Estamos hoje com a disponibilidade de tantas opções de filosofias de vida, e sobretudo muito perto de nós via internet. Precisamos aprender e ter cada dia mais convicção que a Palavra de Deus e seus ensinamentos é o melhor para nossas vidas.

b. Esta ministração tem como objetivo a levar os membros de nossa célula a aprender a mudar os ambientes e situações de suas vidas através do espírito de gratidão a Deus por tudo.

4. Evangelismo

a. Ore para que as pessoas de sua célula aprendam a viver com gratidão em suas vidas e com isto aprendam a mudar ambientes e circunstâncias através deste espírito de gratidão.

b. Ore sempre pelas necessidades das pessoas (pode fazer uso da cadeira da bênção para esta oração).

c. Aproveite para levar as pessoas que ainda não conhecem a Jesus a se entregarem a ele.

d. Ore pelas pessoas que estão na lista de oração. Faça algo criativo para elas sentirem verdadeiramente que esta lista é muito importante.

e. Dê os avisos necessários.

f. Orem pela liderança da sua igreja e da Rede Apostólica.

g. NUNCA deixe de compartilhar os objetivos da célula, discutir como estão avançando nestes objetivos, estabelecer estratégias e orar por eles. Faça SEMPRE isto.

h. Não esqueça de fazer mensalmente a REUNIÃO FESTIVA para facilitar trazer novas pessoas para a célula.

Observação: Este é um tempo muito importante. O ano ainda não terminou. Para muitas pessoas este é o período mais depressívo em suas vidas. Recebam as pessoas que não tem família ou tenham más lembranças neste período do ano e tornem-se a nova família destas pessoas.

30/11/2020

Veja Mais...

23/Nov/2020

SERVIR 'A DEUS.

 
16/Nov/2020

RESTA UM DESCANSO.

 
02/Nov/2020

O PODER DE DEUS.