Rádio Online
 
 
pub
Home > Rede Apostolica > Acontece na Rede > O Tabernáculo de Davi

Acontece na Rede

O Tabernáculo de Davi
 

O TABERNÁCULO DE DAVI

Ricardo Wagner, apóstolo

www.redeapostolica.com.br 

“Conferem com isto as palavras dos profetas, como está escrito: Cumpridas estas coisas, voltarei e reedificarei o tabernáculo caído de Davi; e, levantando-o de suas ruínas, restaurá-lo-ei. Para que os demais homens busquem o Senhor, e também todos os gentios sobre os quais tem sido invocado o meu nome...” (Atos 15:15-17) 

“Naquele dia, levantarei o tabernáculo caído de Davi, repararei as suas brechas; e, levantando-o das suas ruínas, restaurá-lo-ei como fora nos dias da antiguidade; para que possuam o restante de Edom e todas as nações que são chamadas pelo meu nome, diz o SENHOR, que faz estas coisas.” (Amós 9:11-12)

Simão Pedro estava explicando que aquilo que estava acontecendo na igreja, ou seja, o grande número de gentios aceitando Cristo, estava de acordo com a palavra profética de Amós. A salvação dos gentios era o resultado da reconstrução do Tabernáculo de Davi. Para entendermos o plano de Deus precisamos retornar aos tempos de Davi. Amós profetizou sobre os dias atuais. Estamos vendo agora a restauração do tabernáculo de Davi. Deus reedificará como nos VELHOS TEMPOS. 

O que é o Tabernáculo de Davi? Muitos cristãos ficam surpresos ao ouvirem que Davi tinha um Tabernáculo. Muitos estão familiarizados com o tabernáculo de Moisés e com o templo de Salomão, mas não conhecem o tabernáculo de Davi. Deus não prometeu restaurar o tabernáculo de Moisés ou o templo de Salomão, mas prometeu em restaurar o Tabernáculo de Davi. Necessitamos revelação do Tabernáculo de Davi para entendermos o que está acontecendo e deve acontecer em nossas igrejas atualmente. 

“Introduziram a arca do SENHOR e puseram-na no seu lugar, NA TENDA QUE LHE ARMARA DAVI...” II Sm 6:17

O tabernáculo de Davi foi um lugar temporário para disposição da arca da aliança. Era uma simples tenda levantada por Davi para colocar a arca. A arca era a coisa mais importante no Tabernáculo de Moisés. Representava a presença do Senhor que habita no meio de seu povo. A arca é referenciada no Velho Testamento com muitos nomes diferentes:

1. A Arca do Testemunho (Ex 25:22)

2. A Arca da Aliança do Senhor (Nm 10:33)

3. A Arca do Senhor Deus (I Rs 2:26)

4. A Arca do Senhor, o Senhor de toda a Terra (Js 3:13)

5. A Arca de Deus (I Sm 3:3)

6. A Arca Sagrada (II Cr 35:3)

7. A Arca da Tua Fortaleza (Sl 132:8)

8. A Arca da Aliança de Deus (Jz 20:27)

9. A Arca da Aliança (Js 3:6)

10. A Arca do Senhor (Js 4:11)

11. A Arca do Deus de Israel (I Sm 5:7)

12. A Arca de Madeira de Acácia (Ex 25:10)

A Arca era feita de madeira de acácia coberta de ouro, dentro e fora. Moisés foi orientado a fazer a arca (Ex 25:10). Existe uma Arca no céu (Ap 11:19). A Arca feita por Moisés era uma representação daquela que está no céu. A Arca representa o trono de Deus na terra. Era sobre a Arca que o Sumo Sacerdote aspergia o sangue da expiação uma vez por ano (Lv 16; Hb 9:7). Deus habita no meio dos querubins (sobre a Arca - Sl 80:1). A Arca representa Jesus Cristo que é corporalmente toda plenitude de da Divindade (Cl 2:9).

A Arca da Aliança é o móvel mais importante do Velho Testamento. Deus dá tanta importância a isto que existe mais referência a este móvel que a qualquer outro. Por isso um estudo mais aprofundado da história da Arca é justificado. Na verdade, se verá que a história da Arca profetiza a história da Arca do Novo Testamento, o Senhor Jesus Cristo. Assim como a Arca estava em primeiro lugar e sobre tudo na história de Israel, assim Jesus Cristo é o primeiro e tem a primazia sobre todas as coisas diante de Deus e na Igreja (Cl 1:17-18). A jornada da Arca fala do Senhor Jesus Cristo, do seu nascimento, sua unção, vida, ministério, morte, ressurreição, glorificação e segunda vinda.

SILÓ 

“Este homem subia da sua cidade de ano em ano a adorar e a sacrificar ao SENHOR dos Exércitos, em SILÓ. Estavam ali os dois filhos de Eli, Hofni e Finéias, como sacerdotes do SENHOR.” (I Sm 1:3)

Depois da jornada no deserto, o tabernáculo foi colocado em Silo. Este é o lugar em que Ana orou e fez um voto ao Senhor. Silo é o lugar onde o jovem profeta Samuel começou a ouvir a voz de Deus.

Os filhos de Eli, Hofni e Finéias, eram sacerdotes maus e corruptos. Eles desprezavam as coisas santas de Deus e trouxeram julgamento sobre à casa de Eli. 

“Voltando o povo ao arraial, disseram os anciãos de Israel: Por que nos feriu o SENHOR, hoje, diante dos filisteus? Tragamos de Siló a arca da Aliança do SENHOR, para que venha no meio de nós e nos livre das mãos de nossos inimigos. Mandou, pois, o povo trazer de Siló a arca do SENHOR dos Exércitos, entronizado entre os querubins; os dois filhos de Eli, Hofni e Finéias, estavam ali com a arca da Aliança de Deus. Sucedeu que, vindo a arca da Aliança do SENHOR ao arraial, rompeu todo o Israel em grandes brados, e ressoou a terra... Então, pelejaram os filisteus; Israel foi derrotado, e cada um fugiu para a sua tenda; foi grande a derrota, pois foram mortos de Israel trinta mil homens de pé. Foi tomada a arca de Deus, e mortos os dois filhos de Eli, Hofni e Finéias.” I Sm 4:3-5, 10-11

A Arca foi tomada pelos Filisteus. Esta foi uma das maiores derrotas para Israel. Os israelitas pressuporem que a Arca asseguraria a vitória. Perderam a batalha e a Arca. Eli caiu e quebrou o pescoço quando ouviu estas notícias. Sua nora entrou em trabalho de parto quando escutou isto. A criança recebeu o nome de ICABODE, significando que "a glória do Senhor havia se ido" (I Sm 4:12-22). 

A Arca do Senhor representa a glória de Deus. Quando a Arca foi tomada, também desapareceu a glória  (Icabode). Israel foi ordenada para cuidar da Arca. Eles eram escolhidos por Deus para serem abençoados com sua presença. Nenhuma outra nação tinha este privilégio. Os filisteus não foram ordenados a cuidarem da Arca. Quando levaram a Arca para suas terras, grande julgamento seguiu.

A Arca de Deus nunca retornou para Silo. Ela acabou indo para o Tabernáculo de Davi. Os filisteus devolveram a Arca depois de experimentar o julgamento do Senhor (I Sm 5-6).

QUIRIATE-JEARIM 

“Então, vieram os homens de Quiriate-Jearim e levaram a arca do SENHOR à casa de Abinadabe, no outeiro; e consagraram Eleazar, seu filho, para que guardasse a arca do SENHOR. Sucedeu que, desde aquele dia, a arca ficou em Quiriate-Jearim, e tantos dias se passaram, que chegaram a vinte anos; e toda a casa de Israel...” I Sm 7:1-2

A Arca permaneceu em Quiriate-Jearim por 20 anos. Permaneceu lá todos os dias de Saul. 

“Ouvimos dizer que a arca se achava em Efrata e a encontramos no campo de Jaar ... Levanta-te, SENHOR, entra no lugar do teu repouso, tu e a arca de tua fortaleza.” Sl 132:6,8

Em Efrata nós (primeiro) ouvimos dela (a Arca descoberta); nós a encontramos nos campos de madeira - em (Quiriate) Jearim. (tradução amplificada de Sl 132:6)  

Davi desejava trazer a Arca de Quiriate-Jearim para Sião.

O rei Davi sabia da importância da Arca do Senhor. Ter a Arca perto dele em Jerusalém significava ter a bênção, proteção e presença de Deus. A Arca é símbolo do trono de Deus sobre a terra.

A primeira iniciativa de Davi em trazer a Arca terminou na morte de Uzá (II Sm 6:8). Davi mandou então levar a Arca a casa de Obede-Edom (II Sm 6:10). A Arca permaneceu na casa de Obede-Edom por três meses. Deus abençoou a casa de Obede-Edom por causa da Arca. 

“Então, avisaram a Davi, dizendo: O SENHOR abençoou a casa de Obede-Edom e tudo quanto tem, por amor da arca de Deus; foi, pois, Davi e, com alegria, fez subir a arca de Deus da casa de Obede-Edom, à Cidade de Davi.” (II Sm 6:12)

Davi trouxe a Arca do Senhor e a colocou na tenda em Sião. A Arca permaneceu em Sião ainda que o tabernáculo de Moisés continuava em Silo. Deus abandonou o tabernáculo de Siló (Sl 78:60). Antes escolheu a tribo de Judá e Sião (Sl 78:68). Isto é uma importante transição. Deus não mais habitaria no meio de sacrifícios de animais (Silo), mas no meio do louvor (Sião). 

“Pois o SENHOR escolheu a Sião, preferiu-a por sua morada: ESTE É PARA SEMPRE O LUGAR DO MEU REPOUSO; AQUI HABITAREI, POIS O PREFERI.” Sl 132:13-14

Sião é o lugar de habitação do Deus vivo. O Senhor ama os portões de Sião mais do que todas habitações (tabernáculos) de Jacó. Porque o Senhor ama o Tabernáculo de Davi em Sião? PORQUE O LOUVOR E ADORAÇÃO ORDENADOS POR DAVI EM TORNO DA ARCA MANIFESTARAM A MESMA ATMOSFERA DE ADORAÇÃO ENCONTRADA NOS CÉUS! SIÃO FOI A PRIMEIRA EXPRESSÃO DA ADORAÇÃO CELESTIAL ONDE DEUS HABITA ETERNAMENTE. DEUS ASSIM "HABITA" NOS LOUVORES DA SIÃO TERRENA ASSIM COMO HABITA NA ADORAÇÃO CELESTIAL (Sl 22:3). David Swan escreve:  

"Louvor e adoração é a principal atividade em torno do trono de Deus. É também a atividade realizada que mais se aproxima do trono de Deus. Adoração é um ministério do trono de Deus (Ap 4-5). A adoração estabelecida pelo rei Davi no Monte Sião é o tipo de adoração do céu. Em toda restauração e reavivamento durante os tempos de Ezequias, Josias, Esdras e outros, os israelitas sempre retornaram a forma de adoração que havia sido estabelecida pelo rei Davi. Eu creio que a adoração davídica continuará a ser a forma de adoração no milênio." 


ADORAÇÃO NOS CÉUS

O livro de Apocalipse contém mais adoração que qualquer outro livro do Novo Testamento. Também é o livro mais profético do Novo Testamento. Existem pelo menos sete maiores referências a adoração nos céus encontradas neste livro (Ap 4; 5:9-14; 7:9-17; 11:15-19; 14:3-7; 15:3-8; 19:1-10). Este livro é uma revelação sobre a adoração realizada nos céus. É um livro da vitória sobre a perversidade e o estabelecimento do reino de Deus na terra. Devemos orar para que o reino e a vontade de Deus seja feita na terra como é feita nos céus. O povo que adora a maldade será julgado (Ap 9:20-21). 

“e entoavam NOVO CÂNTICO, dizendo: Digno és de tomar o livro...” Ap 5:9 

“Ouvi uma voz do céu como voz de muitas águas, como voz de grande trovão; também a voz que ouvi era como de harpistas quando tangem a sua harpa. Entoavam NOVO CÂNTICO diante do trono, diante dos quatro seres viventes e dos anciãos...” Ap 14:2-3

A adoração dos céus está cheia de NOVOS CÂNTICOS. O tabernáculo de Davi reflete isto na terra. Deus continuamente habita no meio do louvor e adoração. Isto é visto através do livro de Apocalipse. Anjos e homens adorando diante do trono de Deus vinte quatro horas por dia. Davi foi capaz de estabelecer na terra, a realidade dos céus.

“Entoai-lhe NOVO CÂNTICO, tangei com arte e com júbilo.” Sl 33:3 

“E me pôs nos lábios um NOVO CÂNTICO, um hino de louvor (tehillah) ao nosso Deus; muitos verão essas coisas, temerão e confiarão no SENHOR.” Sl 40:3 

“Cantai ao SENHOR um CÂNTICO NOVO, cantai ao SENHOR, todas as terras.” Sl 96:1 

“Cantai ao SENHOR um CÂNTICO NOVO, porque ele tem feito maravilhas; a sua destra e o seu braço santo lhe alcançaram a vitória.” Sl 98:1 

“A ti, ó Deus, entoarei NOVO CÂNTICO; no saltério de dez cordas, te cantarei louvores (zamar).” Sl 144:9

Existem NOVOS CÂNTICOS continuamente nascendo pelo espírito profético no Tabernáculo de Davi. Deve haver NOVOS CÂNTICOS continuamente nascendo na igreja atual. Novidade representa frescor. O espírito profético constantemente nos refrigera a nós mesmos e a nossa adoração. A adoração nos céus nunca é isípida e cerimonial. Adoração na terra nunca deve se tornar rotina e enfadonha. Novos cânticos são parte da adoração nos céus (Ap 14:3). Novos cânticos existirão eternamente. O Tabernáculo de Davi libera a adoração celestial na terra.

Novos cânticos são importantes por muitas razões. Novos cânticos nos liberam para sermos criativos em nosso louvor e adoração. É fácil estagnar e andarmos sempre sobre os mesmos trilhos (fazer sempre a mesma coisa). Novos cânticos nos ajudam a entender as novas coisas que Deus está fazendo em sua igreja. Deus está continuamente liberando novo entendimento e novas revelações para sua igreja. Nossa tendência é cantar no nível de nossas revelações. Novos cânticos aumentam nosso vocabulário de adoração. Novos cânticos nos ajudam a adorarmos a Deus com novas expressões. Não existe limitação no número de cânticos que podem vir pelo Espírito Santo. Em outras palavras, novos cânticos nos ajudam a romper limitações. Novos cânticos nos auxiliam a entrarmos em um uma nova dimensão espiritual e nos levam a um rompimento espiritual.

A adoração precede o rompimento dos selos nos céus (Ap 5-6). Existem coisas que não são liberadas antes que haja adoração. Selos representam algo que está fechado. A adoração abre as coisas que estão seladas (fechadas). Também existe adoração antes das trombetas soarem (Ap 7-8). Trombetas representam vozes, mensagens e julgamentos. Estas trombetas declararam julgamento contra a maldade. Trombetas representam seres angelicais. O livro de Apocalipse está cheio de adoração, anjos e julgamentos e finalmente o estabelecimento do Reino de Deus. Louvor e adoração na terra e nos céus é uma parte importante no estabelecimento do Reino de Deus (veja Ap 11:15-19). O mistério da vontade de Deus não encontrará fim até que exista uma adoração e oração adequada (veja Ap 10:7). É possível que quando grandes coisas estejam acontecendo na terra, a adoração nos céus seja afetada (Ap 15:4-8).


QUENANIAS, ASAFE, HEMÃ, JEDUTUM

Os capítulos quinze e dezesseis de I Crônicas relata os indivíduos que foram colocados no Tabernáculo de Davi para louvar e adorar o SENHOR.

"Quenanias, chefe dos levitas músicos, tinha o encargo de dirigir o canto, porque era perito nisso." (I Cr 15:22)

“Designou dentre os levitas os que haviam de ministrar diante da arca do SENHOR, e celebrar, e louvar, e exaltar o SENHOR, Deus de Israel, a saber, Asafe, o chefe ... Então, Davi deixou ali diante da arca da Aliança do SENHOR a Asafe e a seus irmãos, para ministrarem continuamente perante ela, segundo se ordenara para cada dia ... E com eles deixou a Hemã, a Jedutum e os mais escolhidos, que foram nominalmente designados para louvarem o SENHOR, porque a sua misericórdia dura para sempre. Com eles, pois, estavam Hemã e Jedutum, que faziam ressoar trombetas, e címbalos, e instrumentos de música de Deus ...” I Cr 16:4,37,41-42

"Davi, juntamente com os chefes do serviço, separou para o ministério os filhos de Asafe, de Hemã e de Jedutum, para PROFETIZAREM com harpas, alaúdes e címbalos ... dos filhos de Asafe: Zacur, José, Netanias e Asarela, filhos de Asafe, sob a direção deste, que PROFETIZAVA sob as ordens do rei. Quanto à família de Jedutum, os filhos ... sob a direção de Jedutum, seu pai, que PROFETIZAVA com harpas, em ações de graças e louvores ao SENHOR. Quanto à família de Hemã, os filhos ... Todos estes foram filhos de Hemã, o vidente do rei e cujo poder Deus exaltou segundo as suas promessas, dando-lhe catorze filhos e três filhas." I Cr 25:1-5

Quenanias era o líder dos cantores no Tabernáculo de Davi. Ele tinha o "encargo de dirigir o canto". Esta frase em hebraico é "hasar hammasa" significando literalmente "o preço de carregar uma responsabilidade." A palavra em hebraico "massa" é usada em algumas outras partes da Escritura como um termo técnico do encargo profético dos profetas (veja Hc 1:1, Ml 1:1, Na 1:1). David Blomgren escreve: 

Quenanias "tinha o encargo de dirigir o canto, porque era perito nisso" (I Cr 15:22). A palavra "canto" nos dois casos neste versículo é a palavra hebraica usada para o encargo profético (massa, hamassa). Quenanias era hábil na unção profética e instruía outros como trazer o espírito profético e fluir em novos cânticos proféticos. Nós precisamos instruir, com ensinamentos sistemáticos, os músicos, bem como a congregação, para que compreendam como funcionar nesta unção para levantar o povo de Deus. A palavra "massa" no hebraico neste sentido tem o conceito de "carregar" com grande responsabilidade o espírito profético como um grande peso. Os cantores e adoradores são responsáveis por levar a responsabilidade profética, a fim de trazê-la para a congregação. 

Asafe, Hemã e Jedutum eram os líderes dos músicos no Tabernáculo de Davi. Eles deveriam profetizar com os instrumentos. Eram chamados "videntes" do rei, isto é, profetas conselheiros (I Cr 25:5). Eles operavam no modo profético revelatório vendo a mensagem de Deus e liberando-a através da profecia. Asafe foi designado por Davi para ministrar diante da arca continuamente (I Cr 16:37). O nome Asafe significa "retaguarda". Esta palavra tem o significado em hebraico: "reunir para destruir ou consumir". A glória de Deus é nossa retaguarda (Is 58:8). Quando ministramos na adoração do Tabernáculo de Davi, a glória de Deus se revela como nossa retaguarda.

Tornamos-nos uma companhia unida cuja adoração se transforma em guerra para destruir o inimigo (David Blomgren).

Hemã significa "fiel". Vem da palavra  raiz "aman" que significa construir ou suportar, para tornar firme ou fiel, para ser permanente, para estabelecer. Aman se refere a um lugar "firme", um lugar como se fosse estaqueado ao ponto de ser irremovível. A estaca permanecerá firme irremovível ao ponto de que se for puxada muito fortemente se quebrará no ponto de entrada (Is 22:23). Adoração profética ajuda a edificar a igreja. Ajuda a nos estabelecer nas coisas de Deus. Adoradores precisam ser fiéis ao Tabernáculo de Davi. Adoração do Tabernáculo de Davi renderá uma colheita de fiéis "Henã" que estão estabelecidos na Palavra de Deus.   

Jedutum significa "laudatório". Este nome vem da raíz "yadah" que significa dar graças, laudear, louvar. Significa adorar ou reverenciar com mãos estendidas. Nós levantamos nossas mãos no Tabernáculo da Davi. O nome Judá também vem da raiz "yadah." Deus está estabelecendo muitos "Jedutuns" no Tabernáculo de Davi que vão adorar com mãos estendidas. 

A adoração no Tabernáculo da Davi era PROFÉTICA. Foi ordenada pelos profetas Davi, Gade e Natan (veja II Cr 29:25). Esta é uma figura da adoração do Novo Testamento. Davi foi um rei do Velho Testamento que recebeu a revelação do Novo Testamento. O que ele estabeleceu em Sião se tornou o padrão para igreja. O livro de Salmos é o livro mais profético da Bíblia. Existem mais referências do livro de Salmos no Novo Testamento do que de qualquer outro livro do Velho Testamento. 

Os cantores e músicos no Tabernáculo da Davi profetizam com cânticos e músicas. A principal palavra hebraica para profecia é "Naba" que significa "profetizar, falar ou cantar por inspiração, falar por arrebatamento, louvar a Deus debaixo de uma influência divina". Adoração faz com que o espírito da profecia seja liberado (Ap 19:10). Novos cânticos e palavras proféticas começam a fluir quando o espírito da profecia vem. David Swan coloca:

Adoração profética gera uma sinergia entre os elementos da música, canto, dança, pantomima, oração e a voz da congregação para criar uma poderosa expressão e liberação corporativa. É muito parecido com os ingredientes do incenso, que unidos em proporções balanceadas produz a fragrância que agrada ao Senhor. Quando estes elementos de adoração são combinados e maravilhosamente colocados juntos, existe uma amplificação da liberação do poder espiritual.

Adoração profética transcende todas as fronteiras e limitações culturais porque é uma adoração celestial. Adoração profética flui dum espírito nascido de novo, não da carne ou da cultura. É formatada para todas as nações, tribos e famílias na terra. É adoração que flui além da tradição. É adoração de outro reino. O Tabernáculo de Davi é designado para atrair todas as nações para servirem e adorarem ao REI. Profecia também tem um efeito sobre incrédulos

"Porém, se todos profetizarem, e entrar algum incrédulo ou indouto, é ele por todos convencido e por todos julgado; tornam-se-lhe manifestos os segredos do coração, e, assim, prostrando-se com a face em terra, adorará a Deus, testemunhando que Deus está, de fato, no meio de vós." (I Co 14:24-25)

Paulo está exortando a igreja a que desejem profetizar. Profecia edifica, exorta e conforta a igreja. Também convence e atrai pecadores. Os benefícios da profecia devem fazer com que desejemos incorporá-la em nossa adoração. Existe um forte espírito evangelístico e missionário no Tabernáculo de Davi. Os Salmos estão cheios com a ordem para que todas as nações adorem ao Rei. Davi olhava além da nação de Israel e tinha um entendimento que Deus era o Senhor sobre todas as nações. Todos os deuses das nações são ídolos. O Deus de Israel é o único Deus. A igreja precisa ter o desejo de ver o Reino de Deus estabelecido em toda terra. O evangelho será pregado em todas as nações. A glória do Senhor irá cobrir toda terra como as águas cobrem o mar. Vivien Hibbert escreve:

Na tradição hebraica, todo ministro de adoração, desde o rei Davi, era treinado nas questões proféticas. Jovens moços e moças eram treinados pelos seus pais para profetizarem através dos cânticos e através de seus instrumentos. Também eram capazes de ministrar profeticamente de acordo com a ordem do Rei (I Cr 28:1-8).

Parece que não haviam músicos no templo que não tinham ambas habilidades de música e profética. Isto deveria servir como exemplo para aqueles que irão ministrar na adoração.

O TRONO DE DEUS

"Reina o SENHOR; tremam os povos. Ele está entronizado acima dos querubins; abale-se a terra. O SENHOR é grande em Sião e sobremodo elevado acima de todos os povos." (Sl 99:1-2)

“Ele se assenta (entronizado) sobre os querubins, a terra treme” (Versão Amplificada)."Disse o SENHOR ao meu senhor: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos debaixo dos teus pés." (Sl 110:1)

"... tu que estás entronizado acima dos querubins (da Arca da Aliança), mostra o teu esplendor." Sl 80:1 (Versão Amplificada)

O Tabernáculo de Davi não era apenas o lugar de sua presença, mas também o local de onde governava. II Sm 8 relata as vitórias de Davi sobre os inimigos após ter erguido o Tabernáculo. Davi andava em um novo nível de autoridade depois de estabelecer o Tabernáculo. O Tabernáculo de Davi em Sião se tornou seu trono terreno. Deus estava reinando no meio de seus inimigos. Este foi o tempo de maior adoração e domínio da nação de Israel. Salomão que herdou o trono se afastou do Senhor. Israel lentamente começou a declinar no governo dos reis que não temiam a Deus. O Tabernáculo de Davi começou a cair. Tornou-se em ruínas. A adoração de Israel se tornou novamente cerimonial e hipócrita (veja Is 1:13). Deus a rejeitou e permitiu que fossem para o cativeiro. Durante este declínio Amós profetizou que Deus novamente levantaria o Tabernáculo caído de Davi. Nós estamos vendo isto acontecer exatamente isto em nossos dias.

"... então, um trono se firmará em benignidade, e sobre ele no tabernáculo de Davi se assentará com fidelidade um que julgue, busque o juízo e não tarde em fazer justiça." (Is 16:5)

Igrejas que tem o padrão davídico serão cheias de glória. Deus é entronizado em nosso louvor e adoração. Principados e poderes serão subjugados através de seus julgamentos. Os Salmos estão cheios de referências do julgamento de Deus. Nós veremos o julgamento de Deus em nossas cidades e nações quando o Tabernáculo de Davi for restaurado. Será um julgamento contra a feitiçaria, idolatria, ocultismo, perversão, falsa religião, pobreza e pecado.

INSTRUMENTOS MUSICAIS DE DAVI

"Assim, o rei e todo o povo consagraram a Casa de Deus. Os sacerdotes estavam nos seus devidos lugares, como também os levitas com os INSTRUMENTOS MÚSICOS DO SENHOR, que o rei Davi tinha FEITO PARA DELES SE UTILIZAR NAS AÇÕES DE GRAÇA AO SENHOR, porque a sua misericórdia dura para sempre. Os sacerdotes que tocavam as trombetas estavam defronte deles, e todo o Israel se mantinha em pé." (II Cr 7:6)

"... quatro mil porteiros e QUATRO MIL PARA LOUVAREM O SENHOR COM OS INSTRUMENTOS QUE DAVI FEZ PARA ESSE MISTER." (I Cr 23:5)

Instrumentos são uma parte importante do Tabernáculo de Davi. Davi preparou instrumentos para o tabernáculo. Ministros de canto ungidos são parte importante do tabernáculo. Nós precisamos ter músicos que devem profetizar com os instrumentos musicais. Davi Swan escreve:

O Salmo 150 é um mandado escriturístico para louvar ao Senhor com diferentes instrumentos musicais. Cada tipo produz um som e detalhe único, e evoca diferentes respostas de nossa emoção e espírito... Os músicos ajudam na inspiração e na liberação mais rápida do fluir profético. A primeira escola de profetas usava instrumentos musicais de forma extensiva. A companhia de profetas que Saul encontrou quando desceu dos lugares altos, estavam tocando vários instrumentos musicais e profetizando (I Sm 10:5)

Não poderemos construir o Tabernáculo de Davi a não ser que tenhamos líderes como Davi. As igrejas deveriam investir pesadamente em instrumentos musicais. Devemos oferecer ao Rei um louvor extravagante. Não deveria ter falta de instrumentos na igreja para louvar e adorar ao Rei.

"Inclinarei os ouvidos a uma parábola, decifrarei o meu enigma ao som da harpa." (Sl 49:4)

Deus abre seu "enigma" para nós através da música. Enigma é a palavra hebraica "chidah" que significa um quebra cabeça, uma máxima, uma questão problemática, uma charada. Música profética é a chave para revelação. A música abre o espírito. Isto dá ao nosso espírito a habilidade de compreender os segredos e mistérios de Deus. O nível de revelação em uma assembléia será proporcional ao nível de adoração. Necessitamos de ministros ungidos. Necessitamos músicos proféticos no Tabernáculo de Davi. Satanás odeia músicos ungidos. Ele faz tudo de acordo com seu poder para corromper a música na casa do Senhor. A restauração de músicos ungidos e proféticos é parte da restauração do Tabernáculo de Davi. Ministros de louvor têm a habilidade de mover a mão de Deus (veja II Rs 3:15). Músicos proféticos podem também ativar as pessoas em seus chamados e destinos (veja I Sm 10:5,6). Os ministros também podem trazer refrigério e libertação (veja I Sm 16:23).

DANÇA

"Davi dançava com todas as suas forças diante do SENHOR; e estava cingido de uma estola sacerdotal de linho." (II Sm 6:14)

"Louvai-o com adufes e danças..." (Sl 150:4)

Davi trouxe a arca para cidade com danças. Ele colocou uma estola de linho. Isto era símbolo do sacerdócio. Ele estava agindo como um sacerdote adorador apesar de não ser da tribo de Levi. Dançar é uma parte importante do Tabernáculo de Davi. Estamos vendo a restauração da dança nas igrejas. Equipes de danças estão sendo formadas e liberadas para expressar nosso amor pelo Senhor através das danças. Dançar é uma expressão de alegria. Dançar é também uma expressão e declaração profética de vitória. Miriam liderou as mulheres nas danças para declarar a vitória de Israel sobre o faraó (Ex 15:20). Dançar tem um poderoso efeito no reino (Mc 6:22:23) Ruth Heltin escreve:

O Senhor me falou referente ao tempo em que Davi trouxe a arca de volta a Jerusalém com danças. Quando ele trouxe a arca para cidade, ele dançou por todo caminho. O Senhor me mostrou que se quisermos trazer a Arca do Senhor, também precisamos dançar.

Depois de Davi ter trazido com sucesso a Arca para seu lugar, ele recompensou todos homens e mulheres que o ajudaram com um bolo de pão, um bom pedaço de carne e passas (II Sm 6:19). Ele também foi o único nas Escrituras que alimentou toda nação. O Senhor me disse: "Se você quiser alimentar uma nação, e se você quiser alimentar uma terceira porção, você precisa dançar." Ele me fez saber que dançar traz uma unção que alimenta nações pelo derramamento do Espírito Santo.   

ACLAMAÇÕES E SHOFARES

"Assim, Davi, com todo o Israel, fez subir a arca do SENHOR, com JÚBILO e ao som de TROMBETAS." (II Sm 6:15)

"Subiu Deus por entre ACLAMAÇÕES, o SENHOR, ao som de TROMBETA." (Sl 47:5)

A Arca foi trazida para Sião com júbilo e trombetas. Isto é o que se faz na chegada do Rei. Jesus o rei descerá dos céus com som de trombetas (I Ts 4:16). Deus sobe com aclamações. A trombeta é o shofar. Estamos vendo a restauração do shofar na igreja. Algumas igrejas estão até desenvolvendo uma equipe de shofar. Todos crentes são shofares humanos. Todos podem levantar as vozes como trombetas.

TAMBORINS

"A profetisa Miriã, irmã de Arão, tomou um tamborim, e todas as mulheres saíram atrás dela com TAMBORINS e com danças." (Ex 15:20)

"Cada pancada castigadora, com a vara, que o SENHOR lhe der, será ao som de TAMBORINS e harpas; e combaterá vibrando golpes contra eles." (Is 30:32)

Tamborins são instrumentos poderosos. Eles ajudam a liberar julgamento contra nossos inimigos espirituais. Música é profética e pode ser usada em guerra espiritual. Quando dançarinas se manifestam com tamborins elas estão demonstrando as qualidades da noiva guerreira. Elas estão fazendo atos proféticos demonstrando a destruição do inimigo. Miriam liderou as mulheres na dança com tamborins. Elas declararam a derrota do Faraó e do seu exército no mar.

BANNERS, BANDEIRAS E ESTANDARTES

"Celebraremos com júbilo a tua vitória e em nome do nosso Deus hastearemos pendões; satisfaça o SENHOR a todos os teus votos." (Sl 20:5)

"Glória e majestade estão diante dele, força e formosura, no seu santuário." (Sl 96:6)

Banners (bandeiras, estandartes) liberam a majestade do rei e seu exército. Banners também são parte de um cerimonial. Banners declarando a majestade e a glória do rei são objetos visíveis que nos levam a adorar o Rei da Glória. Procissões, cortejos e passeatas é outra forma de declarar a glória e a majestade do Rei. Existem banners cheios de beleza. Estes banners honram o Rei. Eles representam sua majestade e glória.

REIS E SACERDOTES

"... e nos constituiu reino, sacerdotes para o seu Deus e Pai, a ele a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém!" (Ap 1:6)

O Tabernáculo de Davi foi estabelecido pelo rei Davi. Ele tinha a autoridade para estabelecê-lo em Sião. Os sacerdotes eram aqueles estabelecidos por ele no Tabernáculo para adoração. Hoje são necessários reis e sacerdotes para estabelecer o Tabernáculo. Todos nós fomos feitos reis e sacerdotes. A dimensão de reinado reflete o aspecto de domínio da vida do cristão. O aspecto sacerdotal é o de adorador. Somos reis adoradores. Mas diante do Rei dos Reis temos que tirar nossa coroa.

A GLÓRIA DE DEUS (SHEKINAH)

"Levantai, ó portas, as vossas cabeças; levantai-vos, ó portais eternos, para que entre o Rei da Glória." (Sl 24:7)

"... mas aos teus muros chamarás Salvação, e às tuas portas, Louvor." (Is 60:18)

"A glória do SENHOR se manifestará, e toda a carne a verá, pois a boca do SENHOR o disse." (Is 40:5)

"A ele seja a glória, na igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre. Amém!"  Ef 3:21

A glória de Deus está conectada com a arca. A glória SHEKINAH de Deus habita entre os querubins da arca. Ela estava escondida atrás do véu. Não existe véu no tabernáculo de Davi. Agora podemos chegar face a face com a Glória de Deus. O Espírito Santo é o Espírito da Glória e o Pai é o Pai da Glória. A glória de Deus é sua essência. Nosso Deus é um Deus de glória. Somos ordenados a fazer seu louvor glorioso ("Salmodiai a glória do seu nome, dai glória ao seu louvor." Sl 66:2). A terra se encherá com o conhecimento da sua glória (Hc 2:14). Nós encontramos sua glória através da adoração. Os céus estão cheios da sua glória. Existe constante adoração nos céus. Isto deveria também ser visto sobre a terra. Devemos abrir as portas para o Rei da Glória. O louvor é a porta. Enquanto louvamos, as portas são abertas para o Rei da Glória entrar em nosso meio. Sua glória faz com que levantemos e brilhemos (Is 60:1). Sua glória pode ser vista sobre nós (Is 60:2). Isto faz com que as nações sejam atraídas a nós (Sl 60:3). Isto libera grande prosperidade e bênçãos (Is 60:5-6). Falamos de sua glória (Sl 29:9). Vemos sua glória (Sl 97:6). Davi desejava ver seu poder e glória no santuário (Sl 63:2). O Tabernáculo de Davi está cheio com o poder e glória do Senhor. Existe salvação, libertação e cura no seu Tabernáculo. Vivien Hihhert escreve:

Adoração, evangelismo e missões estão relacionadas entre si. O destino eterno de cada um na terra depende da obediência de cada crente ao seu chamado para adorar a Deus e ser mudado à sua semelhança. Através de nossa obediência, ganhamos o coração e vontade de Deus para todo ser humano, a sabedoria, a graça e força para executar seu propósito na terra. Quando somos mudados em sua semelhança, nós nos tornamos mais capazes em ministrar sua glória àqueles aos que nos rodeiam. 

A DESTRUIÇÃO E DESOLAÇÃO DE SIÃO

"Demoliu com violência o seu tabernáculo ..." (Lm 2:6)

"... nem recebem visão alguma do SENHOR os seus profetas." (Lm 2:9)

"... os anciãos já não se assentam na porta, os jovens já não cantam." (Lm 5:14)

"Cessou o júbilo de nosso coração, converteu-se em lamentações a nossa dança." (Lm 5:15)

As Lamentações de Jeremias falam da destruição de Sião pelos babilônicos. O Tabernáculo de Davi começou a sua decadência com a apostasia de Salomão, filho de Davi. A maioria dos reis que vieram depois de Salomão não seguiu a Deus. Alguns poucos reis obedientes a Deus (Ezequias, Josias) trouxeram temporariamente a restauração, mas o declínio continuou até o cativeiro. O Tabernáculo de Davi caiu em ruínas. Amós profetizou a restauração deste tabernáculo durante o declínio de Israel.

Sião, o lugar do Tabernáculo de Davi, ficou desolado. O ministério profético cessou. Já não se ouvia mais músicas. Danças e regozijo cessaram em Sião. Era um tempo de pranto e tristeza.

Os profetas profetizaram sobre a destruição de Sião. Eles também profetizaram sobre a restauração de Sião. Estamos vivendo agora em tempos de restauração. Deus está reedificando e restaurando o Tabernáculo de Davi. Ele está reconstruindo como era nos velhos tempos Existe uma restauração da adoração profética e da autoridade do reino na casa do Senhor. Estamos vendo a restauração da profecia, salmistas, ministros de canto, novos cânticos, danças, gritos, aplausos, regozijo, bandeiras, estandartes, shofares e muita beleza. Deus prometeu que os gentios o seguiriam. Este Tabernáculo resultará na colheita das nações. Sião se tornará novamente grande entre as nações (Lm 1:1). Sião se encherá novamente de adoradores. Todas as nações virão e adorarão ao Rei.

Jesus declarou: "Eu sou a RAÍZ e a GERAÇÃO de Davi ..." (Ap 22:16) Jesus foi a RAÍZ de todas as coisas que floresceram no ministério de Davi: sua ADORAÇÃO e LOUVOR, suas VITÓRIAS DE GUERRA, seu DOMÍNIO e REINO. Todas as coisas de Davi vieram originalmente de Jesus. E uma vez que Jesus é a fonte de todas as coisas na igreja, então Davi e a igreja têm a mesma RAÍZ: JESUS CRISTO, A MESMA RAÍZ PRODUZ O MESMO FRUTO! Assim como a igreja é para manifestar a mesma adoração e louvor, a mesma vitória em batalhas e o mesmo reino e domínio como ocorreu na vida de Davi. (David E. Fischer)

O Tabernáculo de Davi é o padrão de adoração para a igreja que foi estabelecida pelo rei Davi milhares de anos atrás. Davi estabeleceu louvor em Sião separando os levitas para oferecer sacrifícios de louvor. Existem sete palavras chaves hebraicas que são traduzidas como "louvor" no Antigo Testamento. Estas palavras nos ajudam a entender a maneira bíblica de "louvar" ao Senhor.  

- BARAK (baw-rak') significando ajoelhar-se, bendizer, abençoar, louvor, saudar. Para lembrar-se alegremente que Ele é a fonte de todas as bênçãos. É traduzido como "bendizer" em Jz 5:2 e Sl 72:15. 

- YADAH (yaw-daw') significando confessar com braços estendidos. Reverenciar ou adorar com mão levantadas. Judá vem da raiz desta palavra. (veja Sl 9:1; 28:7; 43:4; 111:1; 138:1) "Louvem-te os povos com mãos levantadas, ó Deus; louvem-te os povos todos com mãos levantadas." (Sl 67:3 - Versão Amplificada) 

“Dar-te-ei graças com mão estendidas, Senhor, Deus meu, de todo o coração, e glorificarei para sempre o teu nome.” (Salmos 86:12 – Versão Amplificada)

“Render-te-ei graças (yadah) entre os povos, ó SENHOR! Cantar-te-ei louvores (zamar) entre as nações.” (Sl 108:3)

- TOWDAH (to-daw') significando oferecer graças. Oferecer sacrifício de louvor com fé pelo que Deus irá fazer. (veja Sl 50:23; 69:30; 107:22; Is 51:3)

"Ofereçam sacrifícios de ações de graças e proclamem com júbilo as suas obras!" Sl 107:22

- ZAMAR (zaw-meer') significando tocar as cordas. Fazer uma melodia, instrumento musical. (veja Sl 47:7; 57:7; 68:4; 144:9; 147:7; 149:3)

- SHABACH (shaw-bakh') significando elogiar ou louvar. Gritar em alto tom. Dar glória ou triunfar em louvor. (veja Sl 35:27; 63:3; 117:1; 145:4; 147:12)

"Porque a tua graça é melhor do que a vida; os meus lábios te louvam (Shabach). Assim, cumpre-me bendizer-te enquanto eu viver; em teu nome, levanto as mãos. Como de banha e de gordura farta-se a minha alma; e, com júbilo nos lábios, a minha boca te louva (Halal)." (Sl 63:3-5)

- HALAL (haw-lal') significando fazer barulho. Brilhar ou tornar glorioso. Animar, empolgar, celebrar, ser ridicularmente barulhento. Esta é a palavra mais comumente traduzida por louvor no Velho Testamento. Aleluia é a combinação de "halal" e "Jah". (veja Sl 22:23, 26; 34:2; 35:18; 44:8; 56:4; 63:5; 69:30, 34; 74:21; 84:4; 99:3; 148:1-7; 150:1-6)

Aleluia (Halalu Jah)! Louvai (Halal) a Deus no seu santuário; louvai-o (Halal) no firmamento, obra do seu poder.Louvai-o (Halal) pelos seus poderosos feitos; louvai-o (halal) consoante a sua muita grandeza.Louvai-o (Halal) ao som da trombeta; louvai-o (halal) com saltério e com harpa.Louvai-o (Halal) com adufes e danças; louvai-o (halal) com instrumentos de cordas e com flautas.Louvai-o (Halal) com címbalos sonoros; louvai-o (halal) com címbalos retumbantes.Todo ser que respira louve ao SENHOR. Aleluia (Halalu Jah)! (Sl 150:1-6)

- TEHILLAH (teh-hil-law) significando cantar, louvar, cantar "hallals". Dar louvores extravagantes. Dar altos louvores. Quando louvamos (tehillah) ao Senhor, Ele começa o processo de habitar (veja Sl 22:3). Isto acontece quando o "novo cântico" começa a fluir (Sl 40:3). Tehillah é a caminho entre louvor e adoração (Sl 104:4). Este é o louvor que os pagãos devem escutar (Is 42:10). Louvor (tehillah) é a porta (Is 60:18). Tehillah são vestes (Is 61:3). Deus nos formou para declarar seus louvores (tehillah - Is 43:21) 

"Salmodiai a glória do seu nome, dai glória ao seu louvor (tehillah)." Sl 66:2

"Louvai (Halal) ao SENHOR, porque é bom e amável cantar louvores (zamar) ao nosso Deus; fica-lhe bem o cântico de louvor (tehillah)." Sl 147:1

"Aleluia (Halal)! Cantai ao SENHOR um novo cântico e o seu louvor (tehillah), na assembléia dos santos." Sl 149:1

Louvor é a maior parte do Tabernáculo de Davi. Davi era da tribo da Judá que significa "louvor". Somos ordenados a declarar sua glória entre os pagãos. Louvor é evangelístico. Uma das formas de confessar o Senhor aos pecadores é através de canções (veja Rm 15:9). Louvor atrai almas para o Reino. Judá (louvor) ceifou a colheita (Oséias 6:11). Através do louvor nós testemunhamos ao mundo a grandeza de nosso Deus. Judá (louvor) arou. (Oséias 10:11). Louvor abre o coração das pessoas rompendo a terra que era improdutiva. Isto facilita a semeadura da Palavra nos corações das pessoas. 


ALTOS LOUVORES (Sl 149:6)

"Nos seus lábios estejam os ALTOS LOUVORES de Deus, nas suas mãos, espada de dois gumes, para exercer vingança entre as nações e castigo sobre os povos; para meter os seus reis em cadeias e os seus nobres, em grilhões de ferro; para executar contra eles a sentença escrita, o que será honra para todos os seus santos. Aleluia!" (Sl 149:6-9)

O Salmo 149:6 é a única referência na Bíblia sobre "altos louvores". Este tipo de louvor libera vingança e punição aos poderes das trevas. Este louvor é uma arma contra os inimigos do Senhor. Isto nos mostra que existem diferentes níveis de louvor. Nós podemos crescer em louvar. Estes "altos louvores" é também uma referência ao louvor que acontece nos céus. Nós podemos louvá-lo nas "alturas" (Sl 148:1). Anjos estão conectados com este tipo de adoração (Sl 48:2). Nós podemos entrar profeticamente nestes "altos louvores" quando o louvor na terra é harmonizado com o louvor nos céus. Altos louvores liberam pessoas dos poderes das trevas através da liberação do julgamento de Deus contra o reino de Satanás. O véu que prende as nações é destruído no monte Sião (Is 25:7).

FORTES TROVÕES (Ap 19:6)

Trovões são fortes. Louvor nos céus é como fortes trovões. Trovões representam o poder e a glória de Deus. O Deus da Glória TROVEJA (Sl 29:3). Nosso louvor torna-se como trovões quando o Deus da Glória vem em nosso meio. Quando Deus troveja em nosso meio grandes libertações acontecem (Sl 18:13-17). Podemos ser livres de fortes inimigos. Trovões procedem do trono de Deus (Ap 4:5). Podemos ter a expectativa que nosso louvor seja como trovões quando o Senhor é entronizado em nossos louvores. Trovões vêm dos céus. Isto é o que acontece quando nosso louvor entra no reino dos céus.

Existem instrumentos que fazem som de trovões. Louvor que troveja pode ser acompanhado por música trovejante. Podemos ficar amedrontados em entrar neste reino. Grande poder é liberado quando nosso louvor torna-se trovões. Deus troveja sobre seus inimigos (I Sm 7:10). Isto frustra os planos (confunde) do inimigo. A igreja experimenta grandes vitórias quando avança em louvores trovejantes.

SALMO 117

O Salmo 117 é o menor Salmo no livro de Salmos. É uma admoestação para as nações a louvar ao Senhor. Paulo referencia este Salmo em Romanos 15:11 com respeito ao evangelho ser recebido pelos gentios. O Salmo 117 revela o coração de Davi. Seu desejo era que todas as nações participassem do louvor de Sião. Isto representa o espírito missionário que é o fundamento da igreja. A Grande Comissão inclui todas as nações. Isto é que deveria nos dirigir e motivar para alcançar os perdidos. O Salmo 117 fala de sua misericordiosa bondade sendo grande para conosco. Nós que experimentamos sua salvação temos experimentado sua misericordiosa bondade. 

Davi não limitou o louvor a Israel. Ele incluiu todas as nações. Este é o poder do tabernáculo de Davi. Ele tem a habilidade de alcançar todos os povos e nações. Ele tem o poder de quebrar barreiras culturais e nacionalistas. Ele é celestial e profético. O Deus de Israel virá e habitará em toda nação que ver o Tabernáculo de Davi restaurado.

ADORAÇÃO E PROFECIA (O Poder da Adoração Davídica)

"... ADORA A DEUS. Pois o testemunho de Jesus é o ESPÍRITO DA PROFECIA." (Ap 19:10)

O livro de Apocalipse tem mais adoração que qualquer outro livro do Novo Testamento. O livro de Apocalipse é um livro profético. Isto nos mostra a conecção entre profecia e adoração. A transição entre louvor e adoração acontece quando nos movemos em louvor "tehillah". O novo cântico aparece. Começamos a "profetizar" em cânticos. Este é o testemunho de Jesus. Em outras palavras, Jesus Ele mesmo, através do Espírito Santo, começa a cantar no meio da igreja. 

"A meus irmãos declararei o teu nome; cantar-te-ei louvores no meio da congregação." (Sl 22:22)

"Dizendo: A meus irmãos declararei o teu nome, cantar-te-ei louvores no meio da congregação." (Hb 2:12)

"Cessou o júbilo de nosso coração, converteu-se em lamentações a nossa dança." (Lm 5:15)

O Novo Testamento interpreta a profecia de Davi como sendo Jesus cantando no meio de sua igreja. O Salmo 22 é um Salmo Messiânico que fala do Senhor Jesus. Jesus fala na primeira pessoa no Salmo 22:22 de acordo com o escritor de Hebreus (Hb 2:12).

Uma forma muito bonita que adoração profética pode ter é quando o cantor, debaixo da unção profética do Espírito, canta o "cântico do Senhor", ou som profético, assim todos os santos podem realmente escutar e participar no cântico que Jesus está cantando entre seu povo.

Esta é uma das mais tremendas bênçãos que nós podemos experimentar - ter Jesus cantando em nosso meio. Assim é como nós adoramos o Pai. É o Espírito Santo (o Espírito de Cristo) cantando através de nós. Jesus usa nossos lábios para testificar em nosso meio. Pecadores encontram Jesus através de nossa canção. Que ferramenta maravilhosa! Isto é o que podemos esperar no Tabernáculo de Davi. Isto é Jesus (a Arca) em nosso meio. Jesus está em nosso meio. Seu testemunho vem quando adoramos profeticamente. O testemunho de Deus é maior que o testemunho do homem (I Jo 5:9). Não existe maior testemunho que o testemunho de Deus.

O livro de Apocalipse é o testemunho de Jesus (Ap 1:2). Apocalipse significa revelação que significa no grego um "desvendamento". O véu é tirado e nós entramos em contacto com os céus. Adoração faz com que o véu seja arrancado. Nós entramos em contato com o reino dos céus. Este é um reino de glória. Este é um reino de anjos e adoração celestial. Quando tocamos este reino nosso espírito é mudado. Vamos de glória em glória. Vamos de força em força. Encontramos a santidade e o poder de Deus. Os céus são abertos e tocamos o reino do alto. Experimentamos os poderes que hão de vir (Hb 6:5). David Swan diz:

A Igreja de Jesus experimentará a mais gloriosa adoração no final destes últimos tempos. Haverá grande alegria, fundida e harmonizada entre a adoração desta geração com a adoração dos céus. Isto acontecerá mais e mais. Quando a adoração da terra alcançar o ponto que começar a se harmonizar e fizer sinfonia com a adoração do céu, conecções espirituais poderosas e dinâmicas são feitas. Quando isto acontece, grande transmissão e transferência fluirão. Uma grande unção e poder serão liberados. Grande glória será manifesta e haverá mais sinais, maravilhas e milagres! 

 

 
30/01/2022

Veja Mais...

07/Out/2020

Células.

 
02/Out/2019

PRIMÍCIAS!.