Rádio Online
 
 
pub
Home > Estudos > Ministério Apostólico > As Duas Categorias de Líderes do Novo Testamento

Ministério Apostólico

As Duas Categorias de Líderes do Novo Testamento
 

Normalmente quando tentamos entender como era a liderança da igreja no Novo Testamento nos defrontamos com dúvidas e incertezas. Dois motivos nos levam a esta confusão:

a.    O paradigma tradicional de liderança da igreja atual;

b.    A dificuldade em de juntar todas as peças do quebra cabeça das referências do Novo Testamento.

A confusão aumenta ainda mais quando se começa a falar sobre os cinco ministérios de Ef 4:10-12. Porém, quando nos debruçamos para estudar profundamente as estruturas de liderança do Novo Testamento, podemos compreender claramente que há duas categorias de liderança: uma voltada para o governo e outra voltada para edificação da igreja.

1.    Liderança de Governo. Em Atos 15 podemos ver que apóstolos e presbíteros são mencionados várias vezes quando da necessidade do estabelecimento de uma direção diante de impasses na igreja primitiva. Analisando esta passagem (juntamente com outras) podemos entender que apóstolos e presbíteros eram os líderes que exerciam a liderança governamental da igreja naquela época. Os líderes governamentais atuam na esfera de autoridade e são os responsáveis pelo bom andamento da igreja local. (II Co 10:13, I Tm 3:1, I Tm 5:17)

2.    Cinco Ministérios (edificação). No livro de Efésios vemos que os cinco ministérios eram responsáveis por equipar/edificar os santos para ministrar a outros e para encorajar o corpo de Cristo. Além do trabalho local, estes ministérios tinham também uma ênfase em viajar translocalmente em equipes apostólicas ou simplesmente para edificar os santos nas igrejas locais.

Com esta perspectiva em mente, podemos fazer algumas importantes considerações:

a.    Através de Ef 4:12-14 entendemos que as funções primordiais dos cinco ministérios são:

- edificar – os cinco ministérios trabalham “com vistas ao aperfeiçoamento dos santos” (v.12);

- trazer unidade e conhecimento – o objetivo dos cinco ministérios é “que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus” (v.13);

- preparar – eles ministram para levar os santos “à perfeita varonilidae” (v.13);

- conformareles ministram para que todos cheguem “à medida da estatura da plenitude de Cristo” (v.13);

- fundamentação na Palavra – eles ensinam “para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro” (v.14).

b.    A grande maioria dos cristãos possui características de um ou mais dos cinco ministérios. Isto não significa que estes dons estão plenamente desenvolvidos. Os cinco ministérios podem estar na forma de semente (Mc 4:28) sendo desenvolvidos no decorrer da caminhada cristã.

c.     Quando um dos cinco ministérios chega à maturidade e há dedicação e disponibilidade, ele deve ser reconhecido e afirmado pelo presbitério local, pelos outros cinco ministérios e pelos líderes apostólicos.

d.    Uma vez que um ministério é reconhecido e credenciado pela liderança local abre a possibilidade para atuar também translocalmente (Lc 16:10).

e.    Para um ministério ser liberado para atuar translocalmente ele precisa autorização daquele que tem autoridade governamental sobre aquela rede de igrejas.

f.     Um Líder Ministerial precisa ser experiente e aprovado em seu ministério uma vez que sua função principal é treinar e liberar outros na unção que possui.

g.    A maioria dos ministros dos cinco ministérios tem um mix de dons. Por exemplo: Paulo afirmou que, além de pregador ele era mestre e apóstolo (II Tm 1:11).

h.    Os cinco ministérios equipam os santos tanto na igreja local, em visitas a outras igrejas como na implantação de novas igrejas (At 15:2, 30-35, 40-41).

i.      Os cinco ministérios equipam os santos tanto publicamente (congregações) como de casa em casa (o que atualmente chamamos de células) (At 20:20).

j.       Líderes de Governo (apóstolos e presbíteros) e os Líderes Ministeriais (apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres) trabalham conjuntamente a fim de levar a igreja à maturidade. Ninguém deveria desvalorizar ou desprestigiar um ao outro.

k.    Apóstolos são líderes de governo como de também de ministério.

l.      Todos os cinco ministérios possuem autoridade espiritual, mas isto não significa que possuem autoridade governamental. Isto quer dizer que alguns daqueles que possuem e são reconhecidos com um dos cinco ministérios não estarão em posição de governo como um presbítero na igreja local.

m.  Muitos Líderes de Governo (presbíteros) possuem um ou mais dos cinco ministérios.

n.    Os cinco ministérios estão intimamente envolvidos na implantação de novas igrejas. Apóstolos, profetas e evangelistas eram essenciais na implantação de novas igrejas em tempos bíblicos. Pastores e mestres estavam mais envolvidos numa perspectiva de longo prazo na igreja local já estabelecida. Os cinco ministérios nunca alcançarão seu desenvolvimento pleno a não ser que estejam envolvidos na implantação de novas igrejas. Este é o modelo bíblico.

Ricardo Wagner, apóstolo

22/04/2008

Veja Mais...