Rádio Online
 
 
pub
Home > Estudos > Estudos da Célula > Quando Deus Mudou de Idéia

Estudos da Célula

Quando Deus Mudou de Idéia
 

Quando Deus mudou de idéia (Ricardo Wagner, ap.)

No Antigo testamento vemos o povo caracterizado como servos de Deus. Era esta a mentalidade que eles possuíam. Já no Novo Testamento percebemos que Jesus veio para revelar a Deus como Pai. A diferença é que Deus sendo Pai e nós seus filhos, não somos simplesmente trabalhadores reverentes às suas ordens, mas nos tornamos participantes e corresponsáveis de sua obra.

O modelo que Deus nos chama para vivermos com Ele é de um relacionamento íntimo. O PAI nos chama para trabalharmos em parceria e em cooperação com Ele. A Bíblia diz que nós somos cooperadores seus mas ao mesmo tempo diz que O Espírito Santo cooperava com os primeiros cristãos. A palavra cooperar significa trabalhar juntos, ajudar no trabalho, ser parceiro no labor, juntar as forças.

I Co 3:9 – “Porque de Deus somos cooperadores.”

I Co 9:23 – “Tudo faço por causa do evangelho, com o fim de me tornar cooperador com ele.”

Mc 16:20 – “E eles, tendo partido, pregaram em toda parte, cooperando com eles o Senhor, e confirmando a palavra por meio de sinais, que se seguiam.”

Nesta qualidade de cooperadores de Deus, vemos que Deus quer trabalhar junto com o homem. Neste processo vemos que Deus requer ao homem sua participação ativa nas tomadas de decisões e rumos da obra e Seus projetos.

PERGUNTAS: Como podemos ser cooperadores com Deus tendo em mente que somos seus filhos?

Is 43:26 – “Desperta-me a memória; entremos juntos em juízo; apresenta as tuas razões, para que possas justificar-te.”

Deus requer do homem um posicionamento para que ele venha a realizar coisas e inclusive mudar os rumos daquilo que já estava estabelecido. Graças a este conceito, sabemos que se orarmos com convicção, apresentando razões claras podemos mover a mão de Deus para realizar coisas jamais imaginadas.

a. O caso de Moisés (Ex 32:7-14).

Depois de Moisés estar por um bom tempo no monte Horebe recebendo as leis, o povo achava que ele não mais retornaria e acabou fundindo um bezerro de ouro e o adorando. A ira de Deus se acendeu contra o povo que decidiu consumir com aquela geração: “Disse ... o SENHOR a Moisés: Tenho visto este povo, e eis que é povo de dura cerviz. 10 Agora, pois, deixa-me, para que se acenda contra eles o meu furor, e eu os consuma” (Ex 32:9-10a). Pela argumentação Moisés fez o Senhor mudar de idéia e Deus não mais intentou fazer mal contra o povo.

b. O caso do rei Ezequias (II Rs 20:1-6).

Deus havia mandado o profeta Isaías avisar o Rei Ezequias que ele morreria em breve. Com esta notícia Ezequias se humilhou e argumentou com Deus dizendo: “Lembra-te, SENHOR, peço-te, de que andei diante de ti com fidelidade, com inteireza de coração, e fiz o que era reto aos teus olhos; e chorou muitíssimo” (II Rs 20:3). Diante da argumentação de Ezequias, Deus aceitou seus argumentos, e mudou de idéia. Mandou logo Isaías voltar e dizer a Ezequias: “Volta e dize a Ezequias, príncipe do meu povo: Assim diz o SENHOR, o Deus de Davi, teu pai: Ouvi a tua oração e vi as tuas lágrimas; eis que eu te curarei ... 6 Acrescentarei aos teus dias quinze anos e das mãos do rei da Assíria te livrarei, a ti e a esta cidade.” (II Rs 20:5-6).

c. O Caso de Manassés (II Cr 33:1-13).

Pelas coisas horríveis que o Rei Manassés havia feito, Deus fala através de Jeremias as seguintes palavras: “Entregá-los-ei para que sejam um espetáculo horrendo para todos os reinos da terra; por causa de Manassés, filho de Ezequias, rei de Judá, por tudo quanto fez em Jerusalém” (Jr 15:4). Então Manassés “ 12 angustiado, suplicou deveras ao SENHOR, seu Deus, e muito se humilhou perante o Deus de seus pais; 13 fez-lhe oração, e Deus se tornou favorável para com ele, atendeu-lhe a súplica e o fez voltar para Jerusalém, ao seu reino” (II Cr 33:12- 13). Deus mudou seu veredito depois do Rei se humilhar e orar perante o Senhor.

d. O caso de Acabe (II Rs 21:20-29).

O profeta Elias libera uma palavra de completa destruição à casa de Acabe por suas maldades, especialmente referentes a Nabote a quem matou inocentemente e a aquisição de seu campo. “27 Tendo Acabe ouvido estas palavras, rasgou as suas vestes, cobriu de pano de saco o seu corpo e jejuou; dormia em panos de saco e andava cabisbaixo. 28 Então, veio a palavra do SENHOR a Elias, o tesbita, dizendo: 29 Não viste que Acabe se humilha perante mim? Portanto, visto que se humilha perante mim, não trarei este mal nos seus dias, mas nos dias de seu filho o trarei sobre a sua casa.” (1 Rs 21:27-29).

Havia uma dura sentença sobre a vida de Acabe, mas depois de sua oração Deus mudou o que havia determinado para que não chegasse esta sentença a ele particularmente, mas apenas a seus herdeiros.

Estes exemplos nos mostram que Deus não está trabalhando ditatorialmente e autoritariamente. Ele é sensível a nossa argumentação, posição e humilhação, mostrando que quer trabalhar cooperativamente conosco. Este conceito nos motiva a orarmos e vermos nossas necessidades sendo atendidas.

PERGUNTAS: Vendo que destinos foram mudados através da oração, como isto nos motiva?

 

Reunião da Célula

1. Encontro

a. Enquanto as pessoas forem chegando, você pode deixar uma música de fundo rodando no ambiente. Isto ajuda a preparar o ambiente para célula e deixa mais descontraído.

b. Nunca deixe de dar muita atenção para os novos na célula. Eles precisam se sentir especiais (como realmente são).

c. Peça para as pessoas que trouxeram os visitantes, apresentarem estas pessoas. Receba a todos com muita expectativa e amor.

d. Quebra Gelo: Pergunta: Você já estava firmemente decidido a fazer algo e alguém o fez mudar de idéia? Conte esta experiência.

2. Exaltação

a. Se houver possibilidade, cante dois cânticos bem alegres. Se não há quem toque um instrumento, seria interessante que se tenha um aparelho de som e se colocasse uma música pré-selecionada que todos possam cantar juntos. Pode ser até um celular.

b. A presença de Deus é que faz com que as pessoas sejam transformadas na célula. Então valorize este momento para todos entenderem que sobretudo a presença de Deus deve ser valorizada e desejada.

c. Ore pelo andamento da célula e por cada pessoa!

3. Edificação

a. Nestes tempos Deus está procurando homens e mulheres que estejam completamente sintonizados com a sua vontade. Ele não quer apenas robôs que fazem as coisas automaticamente. Quer parceiros. Quer cooperadores. Quer homens e mulheres que, como ele, estejam comprometidos e imbuídos do mesmo sentimento e propósito.

b. Esta ministração tem o objetivo de aproximar nosso relacionamento com Deus e  entender que podemos nos achegar diante dele com inteligência e humildade. Podemos construir juntamente com ele aquilo que Ele está para fazer nesta terra.

4. Evangelismo

a. Ore para que as pessoas de sua célula tenham em sua mente sempre o poder das promessas de Deus diante de seus olhos para nunca esmorecerem.

b. Ore sempre pelas necessidades das pessoas (pode fazer uso da cadeira da bênção para esta oração).

c. Aproveite para levar as pessoas que ainda não conhecem a Jesus a se entregarem a ele.

d. Ore pelas pessoas que estão na lista de oração. Faça algo criativo para elas sentirem verdadeiramente que esta lista é muito importante.

e. Dê os avisos necessários.

f. Orem pela liderança da sua igreja e da Rede Apostólica.

g. NUNCA deixe de compartilhar os objetivos da célula, discutir como estão avançando nestes objetivos, estabelecer estratégias e orar por eles. Faça SEMPRE isto.

h. Não esqueça de fazer mensalmente a REUNIÃO FESTIVA para facilitar trazer novas pessoas para a célula.

Observação: Sua célula precisa estar sempre motivada. Nunca deixe cair na rotina. Mobilize a célula através da perseguição conjunta aos objetivos compartilhados com todos.

21/09/2020

Veja Mais...

10/Ago/2020

FIXAR OS OLHOS EM JESUS.