Rádio Online
 
 
pub
Home > Estudos > Estudos da Célula > QUANDO MINHA ALMA PISA O FAVO DE MEL.

Estudos da Célula

QUANDO MINHA ALMA PISA O FAVO DE MEL.
 

ENCONTRO (QUEBRA GELO) (15 min) Hoje vamos falar sobre visão de vida e gratidão. Você já teve a oportunidade de comer mel ainda no favo? Se sim, como foi a experiência?

EDIFICAÇÃO (30-40 min).   QUANDO MINHA ALMA PISA O FAVO DE MEL.

Texto base. Pv 27:7 A alma farta pisa o favo de mel, mas à alma faminta todo amargo é doce.

Introdução. O comportamento humano é muito complexo para se ter respostas simplistas a respeito. O Brasil está em choque se perguntando o que pode passar na alma ou na mente de uma pessoa como Wellington Menezes de Oliveira, o assassino da escola em Realengo, Rio de Janeiro. Leigos e especialistas tentam explicar seu perfil psicológico, mas sem muito sucesso. Independente do caso em questão, o fato é que a alma humana é difícil de ser explicada e compreendida. No versículo de introdução, o sábio Salomão cita dois comportamentos contrários que podem ser observados em muitas pessoas. Uma alma pode estar achando doçura no amargo, outra pode estar achando amargo o doce a ponto de pisar o favo de mel, desprezando-o. Será que isto pode estar acontecendo comigo? Será que em algum momento eu estava tão estressado que acabei pisando favos de mel demonstrando minha ingratidão? Vamos ver!

Obs.: Maná era um alimento milagrosamente fornecido por Deus aos israelitas durante 40 anos no deserto. Era como uma semente pequena e muito branca que caía juntamente com o orvalho.

1-Quando minha alma se alegra com o favo de mel, ou Maná. Todos nós passamos por situações em que desejamos muito uma solução. O povo de Deus passou por um deserto que durou 40 anos e não tinha comida suficiente, então Deus deu a eles uma solução na qual eles se alegraram muito. Números 11:9 Quando, de noite, descia o orvalho sobre o arraial, sobre este também caía o maná. Êxodo 16:31  Deu-lhe a casa de Israel o nome de maná; era como semente de coentro, branco e de sabor como bolos de mel. Imagine a alegria deste povo! Imagine-os levantando de manhã e recolhendo o Maná para fazer um bolinho na hora? De fato eles devem ter se alegrado muito. Da mesma maneira, nós nos alegramos muito quando desejamos muito algo e finalmente isto acontece. Alguns desejam casar, ter filhos, ou, quem sabe um emprego, ou ainda, um carro e assim por diante! E no seu tempo isto acontece então, a alegria pela conquista transparece, a gratidão transborda em na alma e isto é muito bom! Mas nem sempre este é o final da história.

2-Quando minha alma pisa o favo de mel e despreza o Maná. A história do povo de Israel continuou, o tempo foi passando e alma deles mudou. A alegria que sentia nos primeiros dias que caía o Maná do céu desapareceu. Números 21:5b E a nossa alma tem fastio deste pão vil. A mesma alma que se alegrou com o pão que caiu do céu agora tem nojo deste pão desprezível. Esta é a alma humana! Jeremias 17:9 Quem pode entender o coração humano? Não há nada que engane tanto como ele. É perigoso não vigiarmos nossa alma, é perigoso seguirmos apenas seus instintos. A mesma alma que queria tanto casar e ter uma família, agora está sempre reclamando das responsabilidades e das dificuldades que cercam uma família. A mesma alma que queria tanto um filho está sempre reclamando do trabalho que dão. A mesma alma que queria tanto um trabalho, uma profissão, uma empresa, agora fica reclamando e manifestando desprezo. Será que isto acontece conosco? A mesma alma que um dia recebeu o verdadeiro pão que veio do Céu, Jesus Cristo, agora manifesta tanta dificuldade em segui-lo em fidelidade e obedecê-lo, sempre reclamando das responsabilidades, dos irmãos, das células e da igreja. Será que nós temos pisado o favo de mel que o Senhor tem nos dado? Será que levamos em consideração que tantas pessoas estão comendo coisas amargas porque não têm um favo de mel?

3-Quando Deus permite que minha alma experimente o amargo para valorizar o Maná. Deuteronômio 8:3 Ele te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná, que tu não conhecias, nem teus pais o conheciam, para te dar a entender que não só de pão viverá o homem, mas de tudo o que procede da boca do SENHOR viverá o homem. Há casos em que Deus permite que tenhamos que comer o amargo a fim de valorizarmos o que ele nos dá. Ele deixou o povo ter fome para depois sustentá-lo com Maná. Há um ditado que diz: “O inteligente aprende com seus próprios erros, o mais inteligente aprende com o erro dos outros.” Se você já teve que experimentar do amargo para valorizar o doce, não permita que a experiência se repita, coloque em prática sua aprendizagem e viva com o coração alegre diante de Deus. Se você ainda não precisou passar por esta experiência, aprenda com os que já passaram.

Conclusão. Precisamos administrar nossa alma a fim de que ela sempre manifeste alegria com os favos de mel que Deus nos dá, precisamos administrar a fim de que ela não se acostume com a bênção, se acostume com o Maná e venha a considerá-lo desprezível.

Compartilhando. O que você aprendeu neste estudo? Vamos orar aplicando esta palavra em nossa vida. Evangelismo. Visite alguém nesta semana e convide para a célula ou igreja.

Vanderlei Cardoso, profeta e mestre.

29/05/2017

Veja Mais...

18/Abr/2017

MAIS PERTO DE DEUS.